100.000 VISITANTES

26 dezembro, 2013

100.000 visitantes passaram por aqui !
Esse número é estatística do Google, que hospeda este espaço no Blogger.

São 2 anos no ar e realmente chega a ser uma ousadia criar um espaço para falar de Jazz, Blues e outras vertentes pouco comuns em um mundo de mídia com tanta massificação da música comercial e da arte pouco criativa.

Continuamos na estrada e só tenho a agradecer a todos os músicos que acreditaram no espaço para divulgação de seus trabalhos e compartilharam suas experiências em nossas entrevistas.

Um grande abraço a todos voces, visitantes e amigos, que fazem esse espaço mais que especial !

É BATE E REBATE: DUO TAUFIC

18 dezembro, 2013
Piano e violão já protagonizaram grandes momentos na nossa música instrumental.
A fórmula é bem conhecida - Cesar Camargo Mariano e Helio Delmiro colocaram o disco "Samambaia" (1981) como um dos mais extraordinários já gravados nesse formato; Sebastião Tapajós e Gilson Peranzzetta também registraram a beleza dessas formas no disco "Afinidades" (1993); e o mesmo Cesar Carmargo convidou Romero Lubambo para registrarem o belíssimo disco "Duo" (2003).

Instrumentos de características, formato e timbres tão distintos, mas que se complementam com uma beleza estonteante, e cuja dimensão dos sons é dada pela dinâmica e intensidade que o músico coloca.

Roberto Taufic e Eduardo Taufic

Os irmãos Roberto Taufic e Eduardo Taufic formam o DUO, violão e piano respectivamente, e apresentam o novo disco, Bate Rebate, totalmente autoral, resultado de anos vivenciando a música, sempre em um diálogo criativo e harmonioso.

A direção musical deste trabalho é do fantástico Andre Mehmari, que também participa do disco tocando sanfona no tema "Sobre as nuvens"; e que traz também como convidada a cantora Luciana Alves em "É assim".
Sem dúvida, é muito evidente as influências de ambos nas 18 composições do disco, em que Eduardo assina 6 e Roberto 12, e isso só enriquece a audição. Um trabalho quase que intimista, mas que passeia por sonoridades muito familiares, e não tem como destacar o toque 'gismonti' no piano de Eduardo em "Nosso chão"; e as belas baladas "Quando vem do coração", "Ficou o amor", "Lembranças" e "De tanto amar".
Nesse diálogo incessante, as vozes desses instrumentos se complementam e respondem em harmonia e melodia, um bate e rebate, como em "Deu gato na cabeça" e "Children´s dance"; nas linhas de baixo do violão de Roberto em "Assenza" e "Êta danado" e em momentos de liberdade criativa como em "Bicho solto".


"Pra mim, a música é assim, sem ser, sem par, sem fim", são as palavras de Roberto Taufic no encarte do disco, e que resume a beleza deste trabalho.

Eduardo Taufic nasceu em Natal e iniciou na música aos 11 anos. Já realizou trabalhos na nossa música instrumental ao lado de, entre outros, Arthur Maia, Ricardo Silveira, Guinga e Pascoal Meirelles, e também compõem trilhas sonoras. Foi eleito em 2012 como Instrumentista do Ano no Prêmio Hangar de Música.
Roberto Taufic nasceu em Honduras e veio para o Brasil aos 5 anos de idade, e aos 15 elegeu o violão como profissão, e tão logo já estava nos palcos acompanhando artistas como Dulce Quental e Wilson Simonal. Nos anos 90 partiu para a Itália, onde estudou improvisação jazzística.

www.duotaufic.com/



Leia também -

Juarez Moreira Cau Karam & Quarteto À Deriva Ulisses Rocha

MORRE O GUITARRISTA JIM HALL

10 dezembro, 2013
Jim Hall
A guitarra no Jazz perde um dos seus grandes mestres. Jim Hall morre aos 83 anos, vítima de ataque cardíaco em sua residência no Greenwich Village, NY.

Um guitarrista de toque elegante, de uma digitação limpa, fiel ao Jazz e que influenciou uma infinidade de outros guitarristas, entre eles Pat Metheny, com quem gravou um excelente album em duo.
Em sua ampla discografia, há registros marcantes e obrigatórios como The Bridge (1962), em um super quarteto ao lado de Sonny Rollins; os albuns em duo com o pianista Bill Evans, Undercurrent (1963) e Intermodulation (1966); o quinteto com Chet Baker e Paul Desmond em Concierto (1975); além de seus albuns como líder, como os excelentes Live (1975), Circles (1981) e All Across the City (1989). Lógico que há tantos outros, mas esses são, particularmente, os mais expressivos.

James Stanley Hall nasceu em Buffalo, New York, em 1930, e começou a estudar guitarra aos 10 anos, cujo instrumento ganhou de sua mãe. Mudou-se para Cleveland, Ohio, onde, no meio dos anos 50, ingressou no Institute of Music para estudar teoria musical, além de piano e contrabaixo. Não demorou para partir para Los Angeles e tornar-se o guitarrista do quinteto de baterista Chico Hamilton. Nessa época, predominava o Cool Jazz.
Outro momento de grande importância na carreira de Jim Hal foi como sideman do saxofonista Jimmy Giuffre, com quem também registrou boa discografia; e ao lado do trompetista Art Farmer.

Em 1997, Jim Hall recebeu o título de melhor compositor e arranjador de Jazz, pelo New York Jazz Critics; e em 2004 foi eleito Jazz Master pela National Endowment for the Art, honra concedida para músicos de Jazz na America.

Sempre adepto das guitarras archtop, de corpo largo, Jim Hall usou modelo 175 da Gibson, D'Aquisto e mais tarde ganhou um instrumento assinado para ele pelo luthier Roger Sadowski.
Um músico extraordinário, compositor de mão cheia, uma escola de guitarra jazzística, e mesmo nos seus 80 anos ainda estava tocando muito e bastaste ativo. Em 2008 lançou o projeto Hemisphere, um album duplo dividido em duo com Bill Frisell e em trio com Scott Colley e Joey Baron; em 2010 gravou em duo com Kenny Barron o album Conversations; e recentemente lançou Live at Birdland, registro de uma sessão gravada em dezembro de 2010 ao lado de Greg Osby, Steve LaSpina e Joey Baron.

Jim Hall : 1930-2013

IGOR PRADO BAND FECHA O ANO EM GRANDE ESTILO

07 dezembro, 2013
A banda do guitarrista e produtor Igor Prado encerra o ano em grande estilo, não por menos, afinal ele é o nosso maior expoente do Blues na América Latina.
Somente em 2013 foram mais de 150 shows, alguns deles ao lado de grandes artistas como Rod & Honey Piazza, Sugaray Rayford, Wallace Coleman, entre outros; e mais de 50 shows internacionais em paises como Noruega, Itália, Espanha, Alemanha, Dinamarca e Chile.
Agora em Dezembro, uma super Tour nos EUA.
Para os shows em território americano, o grupo contará com o apoio de um dos maiores pianistas de Blues da atualidade - Mr. Fred Kaplan, lendário pianista da Hollywood Fats Band, com mais de 40 anos de carreira e que já acompanhou monstros como T-Bone Walker, Big Joe Turner, Lowell Fulsom e John Lee Hooker.
Mais sobre Fred Kaplan em  www.fredkaplanmusic.com/

Além de Kaplan, o grupo contará no também com as participações de Lynwood Slim, Rod & Honey Piazza e Debbie Davis, guitarrista de Albert Collins.

O produtor brasileiro Chico Blues também acompanhará a Tour e promete fechar uma interessante parceria com um dos maiores selos da atualidade nos EUA. Aguardem novidades para 2014 !
Boa viagem e Sucesso !

Confira a agenda -
12/dez : Lucy´s 51, North Hollywood-CA; com Fred Kaplan & Lynwood Slim;
13/dez : Chaparral Live Room, San Dimas-CA; com Lynwood Slim;
14/dez : The Tiki Bar, Long Beach-CA; com Fred Kaplan, Lynwood Slim & Horn Section (Ron Dziubla & Troy Jennings);
15/dez : Piazza's Blues Festival, Riverside-CA; com Lynwood Slim, Rod & Honey Piazza;
16/dez : Maui Sugar Mill, Tarzana-CA; com Fred Kaplan, Lynwood Slim & Debbie Davis.

E tem album novo de Igor Prado chegando - Lowdown Boogie (iTunes, CD Baby), um album instrumental realizado ao lado do organista Ari Borger e que conta com as participações de Junior Watson, Sax Gordon e Denilson Martins.

Assista o tema Joogie Boogie -



Mais sobre Igor Prado em  www.igorpradoband.com/

Leia também -

Igor Prado Band Donny Nichilo

O PIANISTA DONALD VEGA

05 dezembro, 2013
O pianista Donald Vega tem berço musical. Começou tocando piano aos 3 anos de idade e teve no avô e tio seus primeiros mestres, ambos músicos em sua terra natal, Nicaragua.
Emigrou para os EUA aos 14 anos e quando chegou somente conhecia duas palavras - Bud Powell. Teve como mentor o baterista Billy Higgins no The World Stage, uma escola e galeria de arte em Los Angeles fundada por Billy em 1989, e que tem como missão preservar a música e a literatura afroamericana.
E Vega não parou por aí, partiu para a University of Southern California para juntar-se ao contrabaixista John Clayton e mais tarder graduou-se no coração da 'big apple', nas tradicionais Manhattan School of Music e Juilliard School, onde estudou com Kenny Barron. Foi eleito pianista do ano pela Downbeat em 2008 e vencedor da Great American Jazz Piano Competition em 2010.

Em Spiritual Nature (2012, Resonance Rec), seu segundo album, traz um seção rítmica da pesada formada por Christian McBride contrabaixo, Anthony Wilson guitarra, Lewis Nash bateria e as participações especiais de Christian Howes no violino, Bob Sheppard sax, Gilbert Castellanos trompete e Bob McChesney trombone.
Para Vega, o título do album é a direção para o caminho da magia e mistério da natureza e espírito.

O album abre com "Scorpion", no melhor estilo hardbop com o naipe de metais puxando pressão; Vega aparece contagiante em "Accompong"(Monty Alexander) e "First Light"(Ron Carter), em que também destaca-se a guitarra de Anthony Wilson, magistral músico; no melhor estilo piano-trio, Vega também não economiza nos temas "You Never Tell Me Anything" e "Future Child"; as baladas estão presentes em "Future Child", que ganhou o violino de Howes, e na belíssima "I Remember Clifford"(Benny Golson); a textura bossa-nova aparece do tema título e Vega faz uma homenagem ao nosso Tom Jobim em "Falando De Amor", interpretada em piano solo.

Donald Vega hoje é integrante do Golden Striker Trio, liderado pelo contrabaixista Ron Carter, em substituição ao pianista Mulgrew Miller, que faleceu em março de 2013. E para o veterano Carter, Vega é uma das próximas vozes de expressão no piano.

Mais sobre Donald Vega em  www.donaldvega.com/

Som na caixa !