DOWNBEAT CRITICS POLL 2015

26 junho, 2015

O pianista Vijay Iyer foi, novamente, eleito o artista em destaque do Jazz na edição 63 do DownBeat Critics Poll; e seu trio, formado pelo contrabaixista Stephan Crump e pelo baterista Marcus Gilmore, o destaque na categoria de grupo. Vjay já tinha conquistado ambos títulos em 2012.
O álbum de Jazz em destaque ficou com o Tributo a Charlie Parker realizado pelo saxofonista Rudresh Mahanthappa, Bird Calls (ACT), que também foi o eleito novamente o artista na categoria sax alto.

Dobradinha também na eleição deste ano para Ambrose Akinmosire, Joe Lovano, Gary Smulyan, Anat Cohen, Nicole Mitchell, Robert Glasper, Bill Frisell, Christian McBride, Stanley Clarke e Regina Carter; e para as vozes de Gregory Porter e Cecile McLoren Salvant.
Nos artistas em ascensão, a improvisação livre ganhou espaço no nome da saxofonista Ingrid Laubrock, e, mais que merecidos, os nomes de Melissa Aldana e Ben Williams.

A lista completa -

Hall of Fame: Lee Konitz
Veterans Committee Hall of Fame: Muddy Waters
Jazz Artist: Vijay Iyer
Jazz Album: Rudresh Mahanthappa, Bird Calls (ACT)
Historical Album: John Coltrane, Live At Temple University (Impulse!/Resonance)
Jazz Group: Vijay Iyer Trio
Big Band: Darcy James Argue’s Secret Society
Trumpet: Ambrose Akinmusire
Trombone: Steve Turre
Soprano Saxophone: Wayne Shorter
Alto Saxophone: Rudresh Mahanthappa
Tenor Saxophone: Joe Lovano
Baritone Saxophone: Gary Smulyan
Clarinet: Anat Cohen
Flute: Nicole Mitchell
Piano: Kenny Barron
Keyboard: Robert Glasper
Organ: Joey DeFrancesco
Guitar: Bill Frisell
Bass: Christian McBride
Electric Bass: Stanley Clarke
Violin: Regina Carter
Drums: Brian Blade
Percussion: Zakir Hussain
Vibraphone: Gary Burton
Male Vocalist: Gregory Porter
Female Vocalist: Cécile McLorin Salvant
Miscellaneous Instrument: Erik Friedlander (cello)
Composer: Maria Schneider
Arranger: Maria Schneider
Record Label: ECM
Producer: Manfred Eicher
Blues Artist or Group: Gary Clark Jr; Buddy Guy
Blues Album: Gary Clark Jr., Live (Warner Bros.)
Beyond Artist or Group: D’Angelo
Beyond Album: D’Angelo and The Vanguard, Black Messiah (RCA)

Astistas em ascensão -

Jazz Artist: Steve Lehman
Jazz Group: The Cookers
Big Band: Jason Lindner Big Band
Trumpet: Kirk Knuffke
Trombone: Ryan Keberle
Soprano Saxophone: Ingrid Laubrock
Alto Saxophone: Steve Lehman
Tenor Saxophone: Melissa Aldana
Baritone Saxophone: Chris Cheek; Brian Landrus
Clarinet: Chris Speed
Flute: Erica von Kleist
Piano: David Virelles
Keyboard: George Colligan; Jamie Saft
Organ: Jamie Saft
Guitar: Michael Blum
Bass: Ben Williams
Electric Bass: Tarus Mateen
Violin: Carla Kihlstedt
Drums: Tyshawn Sorey
Percussion: Giovanni Hidalgo
Vibraphone: Bryan Carrott
Male Vocalist: Allan Harris
Female Vocalist: Cyrille Aimée
Miscellaneous Instrument: Anouar Brahem (oud)
Composer: Rudresh Mahanthappa
Arranger: Arturo O’Farrill
Producer: Dave Douglas

ELIAS HASLANGER

22 junho, 2015
O saxofonista texano Elias Haslanger é um dos músicos mais atuantes na cena Jazz de Austin, Texas.
Iniciou os estudos na Texas University, onde tornou-se mestre em composição; e mais tarde partiu para a Manhattan Music School.
No final dos anos 90, alcançou posições de destaque no ranking das publicações Jazziz, Jazz Times e Downbeat; e com o trabalho realizado com o patriarca dos Marsalis, “Kicks are for Kids” (1998), ganhou definitivamente a admiração de público e crítica, cujo álbum foi eleito um dos melhores da década.
Convidado a integrar o grupo do trompetista Maynard Ferguson, "Big Bop Nouveau Band", tornou-se o solista principal ao tenor, caminho seguido muitos anos antes por Wayne Shorter, o que deu a Elias muitas horas de palco e experiência que enriqueceu sua trajetória em grupo, como líder e músico.
Seu álbum solo de 2012, "Church on Monday", passou 11 semanas em destaque no ranking das rádios pela JazzWeek e foi distribuído na Europa e Japão, ganhando destaque na edição da Downbeat em junho de 2013, em que ele comenta sobre o álbum que transformou sua forma de pensar o ritmo - "Hustlin" (1964) - um clássico Blue Note liderado por Stanley Turrentine e sua esposa e organista Shirley Scott .
Elias intitulou seu grupo como Church on Monday, formado por Dr. James Polk no Hammond, Jake Langley na guitarra, Daniel Durham no contrabaixo e Scott Laningham na bateria.
O organista Polk também é muito conhecido na cena musical de Austin, responsável por formar muitos músicos locais, e foi por muito tempo diretor musical da Ray Charles Orchestra. E destaque também o guitarrista canadense Jake Langley, que integrou o organ trio liderado por Joey DeFrancesco e é uma escola de guitarra com fluência plena na linguagem do Blues.
Esta formação está presente no contagiante álbum Live at the Gallery (2014, Cherrywood Rec), registro de 2 noites no Continental Club Gallery, em Austin. Um verdadeiro passeio pelo repertório do Jazz em uma sessão contagiante, não é à toa que o álbum recebeu 4,5 estrelas na Downbeat.
O líder muito inspirado, e não economizou no tempero Blues em "One for Daddy-O" (Adderley) e na tradicional "Going Down"; carregou o groove em "Watermelon Man" (Hancock) e "Adam´s Apple" (Shorter); deu espaço para os standards "I Thought About You" (Van Heusen) e "Song For My Father" (Horace Silver); e relaxou nas baladas "In a Sentimental Mood" (Ellington) e "Misty" (Errol Garner).


www.elijazz.com/

BEN WILLIAMS

05 junho, 2015
O contrabaixista Ben Williams já desponta como um dos mais talentosos músicos surgidos na cena jazz nos últimos tempos. Formado pela Juilliard School, recebeu, em 2009, a honra máxima no Thelonious Monk International Bass Competition, impressionando uma bancada de mestres formada, na época, por Ron Carter, Dave Holland, Charlie Haden, John Pattittuci, Christian McBride e Robert Hurst.

Em 2011 lançou seu álbum de estreia, “State of Art” (Concord Rec), ao lado de de Marcus Strickland, Matthew Stevens, Gerald Clayton e Jamire Williams, em um repertório que traz nova roupagem para "Little Susie" (Michael Jackson) e "Part Time Love" (Steve Wonder), e ainda faz uma fusão com o hip-hop em homenagem a Lee Morgan com o DJ e rapper John Robinson e o trompetista Christian Scott como convidados.
Tanto talento chamou a atenção de Pat Metheny, que o convidou para integrar o Unit Group ao lado de Chris Potter e Antonio Sanchez, cujo álbum de estreia foi premiado com o Grammy em 2012. E foi McBride quem o apresentou ao guitarrista quando ainda estudava na Julliard; foi a oportunidade de Williams juntar-se ao trio de Metheny para algumas gigs, mais tarde recebendo o convite para integrar o Unity Group. Um reconhecimento e tanto, afinal ele tem em Metheny uma grande influência.
Em 2013, já figurava na lista dos músicos em ascensão na eleição da revista Downbeat.

Com seu segundo álbum, Coming of Age (2015, Concord Rec), Williams mostra-se muito mais maduro, e tem ao seu lado novamente o sax de Marcus Strickland e a guitarra de Matt Stevens, complementando com Christian Sands no piano e John Davis na bateria, grupo que ele intitulou Sound Effects. Convidados muito especiais participam do álbum - novamente o trompetista Christian Scott, o vibrafonista Stefon Harris, e as vozes de Goapele e W.Ellington Felton.
São 11 composições no repertório, e, particularmente, um ponto alto do álbum é a belíssima interpretação de "Lost & Found", cover da cantora de Soul inglesa Lianne La Havas, com Christian Scott em total introspecção. Ainda em destaque, uma versão solo de "Smells Like Teen Spirit" do Nirvana; e uma homenagem a Nelson Mandela em "Voice of Freedom", interpretada na voz de Goapele.


benwilliamsmusic.net/

Leia também -

Next Collective