FELIZ DIA DO MÚSICO: 22 DE NOVEMBRO

22 novembro, 2015
"O que é bom já nasce feito,
e está perfeitamente inserido neste contexto divino
que é o dom de ser Músico"
(Hermeto Pascoal)

Àqueles que nos proporcionam momentos de pura beleza, magia e que fazem a trilha sonora da nossa vida.
Parabéns a todos os Músicos pela data de hoje !
22 de novembro, DIA DO MÚSICO

ADEMIR JUNIOR LANÇA SENSAÇÕES, SEGUNDO VOLUME DA SÉRIE CAMALEÃO

11 novembro, 2015
“Todos os seres vivos são tocados pelo poder das vibrações musicais. Ela tudo permeia e a todos ela sempre diz algo sem palavras.” É assim que o saxofonista Ademir Junior expressa a singularidade da Música.
Endorser dos saxofones Selmer e das palhetas Vandoren, marcas respeitadas no mundo dos sopros, Ademir faz jus ao reconhecimento pelo seu estilo vibrante, criativo e pela sua total fluência na linguagem do jazz.
Um músico extraordinário.
Em continuidade à série Camaleão, nos apresenta o espetacular disco Sensações, o segundo volume da trilogia. Tocando tenor, clarineta e EWI, Ademir tem ao seu lado nessa sessão Moises Alves no trompete, Marcos Wander no trombone, Alex Carvalho na guitarra, Marcelo Corrêa no piano, Hamilton Pinheiro no baixo elétrico, Guilherme Santana na bateria e Carlos Pial na percussão; e os convidados especiais Mario Morejon El Indio e Sidmar Vieira nos trompetes e Junior Ferreira no acordeão.


Sensações traz um belo encarte baseado na literatura de cordel, representando a cultura nordestina em um livreto que, originalmente, tem a capa feita com xilogravura e textos impressos em tipografias.
Ademir detalha cada tema do disco nas linhas do encarte, e reforça que a influência de ritmos brasileiros nas músicas tinha que estar impregnada também em todo o visual da capa e encarte, que tem o design gráfico de Karina Santiago.

No repertório, uma devoção a John Coltrane em “Nativos”, usando a essência da clássica “A Love Supreme”; traz a essência do blues em um baião cheio de groove em “Mexidão”, e ele misturado com texturas orientais em “Coisas de Lá”; faz a alternância de ritmos em “Andarilho”, inspirada no tema “Knozz-moe-King” de Wynton Marsalis, em que retrata no título a vida daquele de corre, cansa e volta a sua caminhada buscando folego para uma nova aventura. Tem balada em “Madrugada”, um apelo a reflexão às coisas simples da vida, um spiritual em 4 frases, onde as notas abordam o caminho da sinceridade, devoção e paz ao fim de cada dia; como um mantra,  filosofa em “Saudades do futuro”; e resgata um tema guardado há 6 anos, esperando a melodia, “Xote Candango”, inspirado em nossa festas juninas, crianças, fogueira e muita comida.
Mais inspiração em “Fasgroove” em um apanhado de estilos e propostas de grooves, harmonias modais e melodias rápidas, tema inspirado em Gillespie e Miles; e a homenagem a Michael Brecker na balda “Tributo MB”, composta no período dos últimos meses de sua vida como forma de gratidão ao legado e importância desse grande músico em sua trajetória como saxofonista.

Ademir é objetivo sobre esse novo trabalho, diz ele –
“Sensações são percepções inicias de tudo que ouvimos com os sons musicais, e é por meio delas que apreciamos, nos afastamos, gostamos, refletimos, nos inspiramos e podemos até tomar decisões sobre inúmeros assuntos de vida. A música é a passagem para o mundo perceptivo da mente, virtual, metafísico ou espiritual, como cada um prefere chamar, e é onde os 5 sentidos aguardam ansiosos suas novas Sensações.”


www.ademirjunior.com/

Leia também sobre o primeiro disco da trilogia Camaleão -

Ademir Junior

MIDNIGHT MCCARTNEY

08 novembro, 2015
Um Beatle é sempre um Beatle.
Independente de época, a influência dos integrantes do quarteto de Liverpool vai aparecer em trabalhos diversos, e no jazz a fórmula é muito interessante.

Mais uma vez, John Pizzarelli resgata toda essa magia com mais um tributo - Midnight McCartney, uma coleção de temas originais de Paul McCartney da época pós Beatles.
Pizzarelli não esconde a admiração por McCartney, e faz questão de mostrar essa afinidade pelos álbuns solo do beatle "Pipes of Peace" (1983) e "Tug of War" (1984).

Eles já estiveram juntos no estúdio em "Kisses on the Bottom", álbum de McCartney de 2012, e daí surgiu a ideia de criarem um trabalho com novos arranjos, em um resgate do catálogo desde os tempos do Wings. McCartney sugeriu para Pizzarelli um repertório nem tão conhecido, como as canções "Junk", "Warm and Beautiful" e "My Valentine”; no final, foram selecionados 13 temas, que incluíram as clássicas "Coming Up", "Maybe I’m Amazed", "No More Lonely Nights", "With a Little Luck", “My Love”, "Some People Never Know" e "Silly Love Songs"

O álbum teve a co-produção de sua esposa Jessica Molaskey, que também participa nas vozes, e do pianista Larry Goldings; e traz Bucky Pizzarelli na guitarra, Martin Pizzarelli no contrabaixo, Konrad Paszkudzki no piano e Kevin Kanner na bateria, e convidados muito especiais como Helio Alves, Harry Allen, Michael McDonald e o arranjador Don Sebeski.


www.johnpizzarelli.com/

DOWNBEAT READERS POLL 2015

03 novembro, 2015

Saiu a lista da edição 80 da DownBeat Readers Poll, que teve a mais ampla votação da história deste evento.
Como afirmou Frank Alkyer, editor da revista, o resultado desse ano reflete uma grande diversidade de talentos na cena jazz atual.

Em destaque, a voz de Tony Bennett que, finalmente, ganhou seu lugar no Hall of Fame, e ainda levou a premiação na categoria vocal masculino. Chick Corea também aparece como pianista e álbum do ano com "Trilogy", ao lado de McBride e Brian Blade; Wayne Shorter destaca seu histórico álbum "Speak No Evil" e é o nome na categoria sax soprano; e Maria Schneider eleita novamente como arranjadora e compositora do ano.
Ainda, Pat Metheny, sempre genial, como guitarrista em destaque; e o jovem grupo Snarky Puppy com seu entusiamo e criatividade na sua fusão dentro do jazz. O blues marca presença na voz e guitarra de B.B.King, que nos deixou esse ano; e no álbum de Eric Clapton em tributo a J.J.Cale.

A lista completa está na edição de dezembro da Downbeat.


Hall of Fame: Tony Bennett
Jazz Artist: Chick Corea
Jazz Album: Chick Corea Trio, Trilogy (Stretch/Concord)
Historical Album: Wayne Shorter, Speak No Evil (Blue Note)
Jazz Group: Snarky Puppy
Big Band: Jazz at Lincoln Center Orchestra
Trumpet: Wynton Marsalis
Trombone: Trombone Shorty
Soprano Saxophone: Wayne Shorter
Alto Saxophone: Ornette Coleman
Tenor Saxophone: Chris Potter
Baritone Saxophone: Gary Smulyan
Clarinet: Anat Cohen
Flute: Hubert Laws
Piano: Herbie Hancock
Keyboard: Herbie Hancock
Organ: Joey DeFrancesco
Guitar: Pat Metheny
Bass: Christian McBride
Electric Bass: Stanley Clarke
Violin: Regina Carter
Drums: Jack DeJohnette
Percussion: Poncho Sanchez
Vibraphone: Gary Burton
Miscellaneous Instrument: Béla Fleck (banjo)
Female Vocalist: Diana Krall
Male Vocalist: Tony Bennett
Composer: Maria Schneider
Arranger: Maria Schneider
Record Label: Blue Note
Blues Artist or Group: B.B. King
Blues Album: Eric Clapton & Friends, The Breeze: An Appreciation of JJ Cale (Bushbranch/Surfdog)
Beyond Artist or Group: Jeff Beck
Beyond Album: D’Angelo, Black Messiah (RCA)

www.downbeat.com