COLCHA DE RETALHOS

21 julho, 2017
A baixista Dé Bermudez não esconde sua admiração pelo saudoso Nico Assumpção, um dos mais extraordinários baixistas da nossa música. Apesar de não tê-lo conhecido pessoalmente, Nico foi, além de grande influência musical, uma fonte de pesquisa musical que deu como resultado o trabalho final e um recital na sua formatura de graduação em baixo elétrico pela FAAM, SP.
Com o lançamento do EP Colcha de Retalhos - Parte 1, que será a primeira de quatro partes que vão compor o disco "Colcha de Retalhos", Dé Bermudez pretende mostrar composições próprias e homenagens a músicos que foram importantes em sua formação musical.
O repertório desta primeira parte traz dois temas, e o primeiro homenageado é Nico Assumpção com o clássico "Paca Tatu Cotia Não; o outro tema é uma composição autoral intitulada "Convescote", em uma onda fusion com recheio bem brasileiro.

Ao lado de Dé Bermudez estão Pedro Pimentel na guitarra e Elder de Souza na bateria.
O EP foi gravado no Estúdio André Ferraz em maio de 2016.
O design gráfico é de Rodrigo Chenta.

Dé Bermudez é coordenadora da Venegas Music, professora de baixo elétrico, prática de banda, violão popular e violão para crianças, em que aborda o instrumento de forma lúdica aliado a técnicas de musicalização infantil. Também desenvolve o trabalho como professora de música no ensino médio ministrando aulas de história da música e apreciação musical. Também é integrante do Ivan Barasnevicius Trio.

Com a palavra, Dé Bermudez em um bate-papo super rápido -

Não se influenciar por Nico Assumpção é difícil, ele foi um gigante. 
Que outros músicos marcaram na sua formação?
Sempre quando me perguntam isso me vêm muitos músicos na cabeça, e muitos não são baixistas.
Como eu gosto muito de improvisação, acabo me inspirando em diversos músicos - saxofonistas, trompetistas, cantores, percussionistas. É uma miscelânea musical.
O primeiro de todos que sempre cito porque considero o "responsável" por eu querer tocar baixo e seguir na música é o baixista Steve Harris, ele é inspiração pura pra mim. O tipo de baixista e banda que fazem o tipo de música que me toca e me transforma, faz eu me sentir muito feliz.
Na verdade, mesmo curtindo o baixo de cara eu nunca fui tão atrás de ouvir os baixistas, sempre ouvi tudo como um todo, entende? Então de baixistas que eu admiro, além do Steve Harris e do Nico Assumpção. posso citar também o Luizão Maia, Jaco Pastorius, Geddy Lee, Ron Carter, Bernard Edwards, Stanley Clarke. São esses baixistas que lembro agora que me impactaram muito e que busco inspiração para compor, conduzir. Mas aí também tem músicos que admiro muito, me inspiro nos seus discos e aí cada músico que toca com eles me influência também. Posso com certeza falar de nomes como Pat Metheny, Wayne Shorter, Miles Davis, Flora e Airto, Machine Head e os discos do Neymar Dias (que pode estar na lista dos baixistas porque tem um trabalho muito bonito).

Tem previsão para o lançamento do disco "Colcha de Retalhos"?
Não é fácil produzir no Brasil, ainda mais quando você precisa conciliar trabalho, estudos, vida pessoal. A ideia de fazer o disco era gravar tudo de uma vez, mas contando com diversos convidados. Como as coisas mudaram um pouco no meio do caminho, achei melhor ir lançando o disco em EPs, para que o material não ficasse muito tempo guardado. E foi daí que veio a ideia da "Colcha de Retalhos", que representa a união de vários pequenos pedaços do trabalho e que serão gravados por diferentes músicos, diferentes formações, e também representa o lado da coisa artesanal que gosto muito de fazer quando tenho tempo livre (quase nunca).
Então, até o final deste ano estou me organizando para gravar mais duas faixas, uma autoral e mais uma homenagem a um músico importante para mim. Vai ser em trio, mas desta vez em parceria com o Rodrigo Chenta & Ivan Barasnevicius Duo. Já comecei a mexer nos arranjos e espero começar os ensaios até o final de agosto.
A ideia é não demorar muito para fechar o disco, mas não depende só da vontade, tem agenda, tem custos, mas vai sair, e vai ser lindo!

Com certeza vai ser lindo, Dé Bermudez. Obrigado, e sucesso.
Você pode fazer o download gratuito do EP aqui.

www.debermudez.com



Leia também -

O espaço-tempo de Ivan Barasnevicius

FERNANDO PESSOA EM MÚSICA

14 julho, 2017
Fernando Pessoa é reconhecido como um dos maiores poetas do século XX e um dos artistas mais geniais de sua época. Sua obra testemunha uma intemporalidade quase absoluta, não havendo nela nem passado nem futuro, mas apenas um eterno-atual que é o verdadeiro tempo em que devem de fato viver os grandes imaginativos.

Das Minas Gerais, Renato Motha e Patricia Lobato transformaram em sambas e canções alguns maravilhosos poemas de Fernando Pessoa e registraram na série Dois em Pessoa, com lançamento do segundo volume. Em CD duplo, o repertório traz 26 músicas - no disco 1 são 13 canções e no disco 2 são 13 sambas, revestidos por rica instrumentação. O primeiro volume, lançado em 2004 também em CD duplo, traz 24 poemas musicados e esteve entre os discos brasileiros mais aclamados no Japão. A expectativa com o segundo volume só vem confirmar que a expressão da arte linguística não só se traduz como se completa com música, fazendo com que a mesma emoção dita se recrie em tons e melodias.


O resultado deste trabalho está muito bem descrito pelo professor de literatura e música Alexandre Castro no encarte do disco - "O fato é que, ao associarmos a palavra poética ao ritmo e à melodia da música, seu conteúdo passa a ser lido e ouvido numa dimensão mais fragmentária e intuitiva."

Renato e Patricia têm na canção brasileira sua principal fonte de inspiração e pesquisa, trazendo ainda influências do jazz, da música clássica e contemporânea. Com um trabalho abrangente, transitando de maneira particular por vários gêneros, a dupla apresenta, ao longo da parceria, projetos que a todo momento valorizam e universalizam os sons do Brasil e das Minas Gerais.
Renato Motha possui 13 discos gravados e já recebeu prêmios de âmbito nacional nas categorias revelação, cantor e compositor. Tem trabalhos com Ivan Lins, João Bosco, Guinga, César Camargo Mariano, Jonnhy Alf e Toninho Horta. Patricia Lobato é é cantora e percussionista e tem parceria com Motha desde 1998 com 9 discos gravados. Tem na canção brasileira e nos kirtans indianos seu principal campo de atuação, trazendo também em sua música influências do jazz e da música clássica.

Renato Motha nos arranjos, violões e ambiências e Patricia Lobato nas vozes, triangulo e tamborim; Tiago Costa no piano; e participação de Bruno Conde no violão.
"Dois em Pessoa" tem produção de Renato Motha e foi gravado no Estúdio Pritpal, em Casa Branca, Minas Gerais. A distribuição digital é pela Tratore.
A arte gráfica da obra tem as mãos de Leonora Weissmann e Nando Fiúza.

Você pode adquirir os 2 volumes de "Dois em pessoa" pelo site www.renatomothaepatricialobato.com

DOWNBEAT CRITICS POLL 2017

01 julho, 2017

A lista da edição 65 da Downbeat Critics Poll já está circulando e traz em destaque o trompetista Wadada Leo Smith e a guitarrista Mary Halvorson, dois extraordinários músicos que vão além da formação de grupo tradicional e exploram com extrema criatividade a improvisação e o jazz.

Wadada Leo Smith já tem história e discografia marcantes e agora ganha reconhecimento nas categorias trompetista, artista e disco com o lançamento do CD "America’s National Parks". Mary Halvorson é a voz da guitarra contemporânea, dos improvisos livres, eleita como guitarrista, artista e compositora em ascensão e grupo. É uma das mais extraordinárias guitarristas surgidas nos últimos tempos.

Sem muitas novidades nas demais categorias, além dos velhos conhecidos Christian McBride e o sempre extraordinário Charles Lloyd, vale dar uma atenção diferenciada aos artistas em ascensão, entre eles o guitarrista Gilad Hekselman e a pianista Kris Davis.



A lista completa -

Hall of Fame: Don Cherry, Herbie Nichols, George Gershwin and Eubie Blake
Jazz Artist: Wadada Leo Smith
Jazz Album: Wadada Leo Smith, America’s National Parks (Cuneiform)
Historical Album: Bill Evans, Some Other Time: The Lost Session From The Black Forest (Resonance)
Jazz Group: Charles Lloyd & The Marvels
Big Band: Maria Schneider Orchestra
Trumpet: Wadada Leo Smith
Trombone: Steve Turre
Soprano Saxophone: Jane Ira Bloom
Alto Saxophone: Rudresh Mahanthappa
Tenor Saxophone: Charles Lloyd
Baritone Saxophone: Gary Smulyan
Clarinet: Anat Cohen
Flute: Nicole Mitchell
Piano: Kenny Barron
Keyboard: Robert Glasper
Organ: Joey DeFrancesco
Guitar: Mary Halvorson
Bass: Christian McBride
Electric Bass: Stanley Clarke
Violin: Regina Carter
Drums: Jack DeJohnette
Percussion: Hamid Drake
Vibraphone: Stefon Harris
Miscellaneous Instrument: Béla Fleck - banjo
Female Vocalist: Cécile McLorin Salvant
Male Vocalist: Gregory Porter
Composer: Maria Schneider
Arranger: Maria Schneider
Record Label: ECM
Producer: Manfred Eicher
Blues Artist or Group: Buddy Guy
Blues Album: David Bromberg Band: The Blues, The Whole Blues and Nothing But The Blues (RedHouse Rec)
Beyond Artist or Group: Leonard Cohen
Beyond Album: Allen Toussaint, American Tunes (Nonesuch)

Artistas em ascensão -

Jazz Artist: Mary Halvorson
Jazz Group: Mary Halvorson Trio
Big Band: Michael Formanek Ensemble Kolossus
Trumpet: Taylor Ho Bynum
Trombone: Marshall Gilkes
Soprano Saxophone: Christine Jensen
Alto Saxophone: Matana Roberts
Tenor Saxophone: Noah Preminger
Baritone Saxophone: Dave Rempis
Clarinet: Oscar Noriega
Flute: Kali. Z. Fasteau
Piano: Kris Davis
Keyboard: Kris Bowers
Organ: Wil Blades
Guitar: Gilad Hekselman
Bass: Eric Revis
Electric Bass: Thundercat
Violin: Sara Caswell
Drums: Jeff Ballard
Percussion: Sunny Jain
Vibraphone: Cecilia Smith
Miscellaneous Instrument: Akua Dixon - cello
Female Vocalist: Jen Shyu and Becca Stevens
Male Vocalist: John Boutté
Composer: Mary Halvorson
Arranger: Esperanza Spalding
Producer: Christian McBride

www.downbeat.com/